segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Senti

o cheiro da chuva, parecia que ia vir com agressividade, já que eram três da tarde e parecia ser umas sete horas (no horário de verão. Tá, tá bom, seis.) Mas continuei moscando na internet, ouvindo Hey, soul sister do Train. Estou ficando viciada nessa música. E quando chega a minha parte favorita (hey, soul sister! ain't that mr. mister on the radio stereo? the way you move ain't fair, you know) só ouço aquele trovão brooooooooooooooooooowwwwww! Que até com o fone de ouvido às alturas eu consegui ouvir claramente. Com o susto, caí com tudo no chão, foi cadeira, caixa de som, fios e mais fios e quando percebi até o ventilador tinha ido junto (detalhe: o ventilador estava um metro de mim, mas peguei para me segurar).  Olhei meu pé que estava latejando, o chinelo estava cheio de sangue. Os fones continuaram a tocar, e fiquei deitada no chão até a música acabar. Levantei e fui lavar os pés e os chinelos, vocês devem saber como ardeu. Coloquei merthiolate, depois coloquei o band-aid e arrumei a bagunça que estava no meu quarto. Resolvi até arrumar mais do que tinha bagunçado, e depois fiquei comendo pipoca de chocolate e vendo Simpsons. Olhei para janela e vi uma luz apagada. Daquelas que o vizinho nunca desliga,sabe? Falei: Pronto só falta... O nobreak do meu computador começa a reclamar, as luzes a se apagar. ...Faltar luz. Corri para o computador, desliguei. A luz começou a variar, então desliguei a calha, para não queimar nada. Deixei uma luz ligada, a da sala, para saber quando a luz voltaria. Dormi por quase duas horas e nada de luz. O tédio era total, não podia fazer nada! E, é claro, eu não ia acender velas nem lanternas, por quê tava um calor infernal, mesmo chovendo, e eu não queria outra fonte de calor a não ser o meu corpo estirado no sofá verde. Meio sonolenta, passei a mão no rosto para acordar. Tinha pipoca por todo o meu cabelo. Eu pensei em todos aqueles desenhos, no quais faltava luz e os personagens tiravam lições de vida. A única lição de vida que conseguia tirar daquele momento era nunca dormir com um pote de pipoca nos braços. Sentei-me no sofá, e comi o resto da pipoca, para depois tirar do cabelo e jogar fora. Fiz isso, e depois, peguei o PSP do meu irmão para ver se tinha alguma coisa para jogar. Joguei Luxor (esse jogo é legal) por cinco minutos e depois vi que tinha acabado a bateria. Coloquei no case azul de novo, e voltei para sala. Perguntei "Algum ser acordado nessa casa?" e minha mãe respondeu "Agora, né?" e eu "Tá, desculpa". Depois disso tudo, quase 4 horas sem luz, a sagrada lâmpada acendeu, bem tímidamente, por causa das variações. Finalmente! Depois de um tempo para a luz se estabilizar, liguei a  TV, e ficamos vendo House até meia noite. Fim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário