quinta-feira, 30 de junho de 2011

Meu Weemee

Ficou tudo a ver comigo.
Meu cabelo, minha bolsa, café (!), olhos castanhos, cabelo, talz... ^^ Feliz.

terça-feira, 28 de junho de 2011

Q vácuo!

Eu já sabia q ela não ia lembrar, mas.... Sei lá, se eu lembrei, por que ela não iria lembrar, né?
Eu: oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooiii!
Ela: oi
-que vacuo, pensei, quando recebi a mensagem-
Eu: Tudo bem?
Ela: desculpa, mas eu não lembro de vc
     !!
Eu: ah...
     do aspem
     nas ferias
     talz
Ela: Ah...
       Ah, lembrei
Eu: Vou sair
       Tenho que lanchar
       outro dia
       a gente
       conversa
-sem direito a tchau-
Sabe o que esse "outro dia a gente conversa" quer dizer em língua de carioca, né???

domingo, 26 de junho de 2011

Arquitetura

Design

Jornalismo

Fotografia


Gostar ou Não Gostar.

As pessoas tem essa obsessão por gostar de alguém (as pessoas não, as meninas do 8º ano), quer dizer, se você não gosta de ninguém e por que você não tem coração. Mas eu discordo. Acho desperdício de tempo e energia, e um desgaste emocional desnecessário. E além de tudo isso... Pense no garoto mais feio da terra, multiplique a feiúra dele por dez milhões ponto nove quatro oito. Aí você vai ver o quão feios são os garotos que eu convivo. Uhmm... Pensando bem... Não toooodos assim... Mas, bem, da minha sala, pelo menos. Ai, graças a Deus que eu não não gosto de nenhum deles. ^^

P.S.: Acho que eu sou a única que penso naquela sala...

domingo, 19 de junho de 2011

Um dia no Rio

Ontem eu fui ao Rio, em Jacarepaguá. Fomos ao Center Shopping e tomamos Frozen Yogurt, que eu tirei foto, mas a câmera tava sem bateria e não memorizou. Mas depois de horas de caminhada, ganhei uma capa pro meu notebook da Uatt?. Ela é branca de bolinhas coloridas. Saímos e estávamos morrendo de fome! Então fomos ao drive thru do Mc Donald's. E eu comi um Mc Lanche Feliz =). Ganhei um bebê panda. Depois eu voltei pra cá. Afffffff. ¬¬' Foi muito legal! Menos pela parte de voltar pra cá. Brinks. Fiquei lá no Rio aproveitando enquanto meus colegas ficavam gastando 1000 reais num salsichão naquele frio horrível e com aquelas roupas caipiras ridículas. Eu comi muuuuito lá. Tomei café às sete. Depois desci a serra e cheguei na casa da minha vó às duas da tarde. Comi três bombons. Depois, procuramos uma loja em Japacépaguá, mas não achamos. Quando vimos, já estávamos em Rio das Pedras. Demoramos para conseguir voltar ao centro, e fomos à Taquara. Procuramos em todas as lojas. Nada de antena parabólica. Ficamos rodando até três e meia sem comer nada. Comemos dois copos de  pão de queijo do Rei do Matte. Depois, tomamos um frozen no Yoforia. Depois fomos ao Drive Thru do Mc Donald's, e eu comi um Mc Lanche Feliz. Depois almoçamos na casa da vovó. Só isso. huahsausa

Panquecas!

 Eu fiz paquecas sozinha!
Pois é! E eu nem explodi a cozinha!
Aqui estão as fotos!
Ingredientes...

Ponto da massa.

Me-me-me-mexe! (música veeelha)

Primeira tentativa de fritar (fail)

Segunda tentativa (Fuck Yeah!)

Panqueca pronta!

Fritando a panqueca.

Outra pronta!!!

Todas elas

Com mel fica booom!


Receita:
Ingredientes

  • 1 xícara e 1/4 de chá de farinha de trigo




  • 1 colher de sopa de açúcar




  • 3 colheres de chá de fermento em pó




  • 2 ovos levemente batidos




  • 1 xícara de chá de leite




  • 2 colheres de sopa de manteiga derretida




  • Pitada de sal




  • Óleo para untar



  • Modo de Preparo
    1. Misture em um recipiente a farinha, o açúcar, o fermento e o sal
    2. Em outro recipiente misture os ovos, o leite e a manteiga
    3. Acrescente os líquidos aos secos, sem misturar em excesso
    4. O ponto da massa não deve ser muito líquido, deve escorrer lentamente
    5. Aqueça e unte a frigideira e coloque a massa no centro, cerca de 1/4 xícara por panqueca
    6. Fica muito gostoso comer com nutella, brigadeiro


    sexta-feira, 17 de junho de 2011

    Olá pessoas!

    No dia 14 eu fiz panquecas (!) E tem umas fotos que deveriam ter sido postadas no fotolog, mas eu tô com preguiça de fazer o download pro meu computador ¬¬'
    Bom, vou fazer o download logo.
    Tchau...

    Lealdade

    Pegou a maleta amarela e foi para sacada. O cheio da maresia a extasiava, claro. Tantos anos longe das ondas e do vento que salpicava as gotas no seu rosto... Me acariciou. O mar estava convidativo. Não estava frio, apenas mais uma noite de verão sozinha. Abriu sua maleta e seu computador deu boa noite enquanto observava o início do eclipse. Acabou seu trabalho e olhou mais uma vez para a água. Estava calma. Então ela pensou: por que não? Vestiu seu biquíni e foi à praia. Estava deserta. Agora, o mar não parecia tão amigável. Pousou o pé na água: morna. Olhou para seu apartamento enquanto as ondas lambiscavam seus dedos. A luz estava acesa.
    Mergulhou quando a água chegava em sua coxa. Estava sentindo uma coisa estranha. Como um pressentimento.Ruim, muito ruim.
    Depois disso, uma onda a engoliu e a correnteza a hipnotizou. Estava na arrebentação. Algumas gotas começaram a cair e ela não conseguia voltar. Outra onda a envolveu violentamente. Quando conseguiu chegar à superfície a chuva já a agredia. O mar estava com raiva da intrusa. E a engoliu mais uma vez.
    A esperei, mas ela não voltou.  O céu já estava escuro por causa do eclipse. Uma cabeça emergiu da água por alguns segundos. Fiquei paralisado. Não tinha o que fazer. Queria chorar.
    Desta vez, ela não voltou. Depois de uns dois minutos, nada. A luz já começava a voltar quando descobri que a porta estava aberta. Desci pelas escadas. O porteiro estava dormindo. Atravessei a rua, entrei na água. Nadei por alguns minutos. Uma onda me fez girar com violência. Quando eu era apenas um filhote, meu pai, depois de devolver um graveto ao seu dono, me disse que eu tinha que, se meu dono fosse capaz de dar a vida por mim, eu deveria dar minha vida por ele. No caso, por ela.
    Fui parar a poucos centímetros dela, num lençol de areia submersa. Ela estava de olhos abertos, mas não estava acordada. Estava muito cansado para voltar à superfície, mas, pelas águas turvas, vi a lua retornando ao seu posto. E minha alma indo embora, em direção à ela. Até que uma força não sei de onde empurrou meu corpo, a essa altura sem vida, para os braços de minha dona.
    Algumas horas depois, os nossos corpos foram encontrados. Fomos sepultados juntos. E ninguém presenciou nosso velório.

    É sempre bom saber que alguém morreria por nós

    terça-feira, 14 de junho de 2011

    Ciberativista do Greenpeace

    Oi gente! Estou há um tempo sem postar, mas é só pra dizer que faço parte do Greenpeace. Sim... Já tem um tempo. Sou a chamada Cyberativista, que recebe e-mails, e segue o Greenpeace no Twitter (?) Pra dar RT e divulgar... Eu realmente queria ser uma ativista, mas tem que contribuir financeiramente, e nem tão cedo vou poder ajudar.
    A Greenpeace é conhecida por ser muito agressiva. Tipo com as baleias, que eles jogavam seus botes contra os barcos pesqueiros, mal se importando com a vida ( acho tão bonito =´), mas eles são malucos). Vou confessar que adoro aquelas pessoas chatas que ficam falando o tempo todo do meio ambiente, da fauna, por que eu não tenho coragem para ser uma delas. Claro que não ia parar de comer carne. Por que carne é a 1ª maravilha do mundo, não ia conseguir ficar sem. Mas não apoio o abate de animais para caprichos humanos, como o marfim, as peles de animais. E as focas. E as baleias.
    www.greenpeace.org
    www.twitter.com/greenpeace_br

    domingo, 5 de junho de 2011

    M E S I G A M N O T W I T T E R

    Fiz um logo novo pro blog. ^^ Ficou legal, né? Me sigam no Twitter: @BiaCNascimento

    Nananana e Replys no Twitter

    Por: Corbis - Não me processem!
    É muito bom saber que uma música se chama NANANANANANANANANANANA, por que todas as músicas que eu canto são só isso mesmo ^^
    Eu ganhei um livro [por: www.momentosatlife.blogspot.com], A Menina Que Roubava Livros, na sexta, e também comprei uma carteira de London Cult Mint.
    Ontem eu estava no twitter aí veio um reply assim Na União Soviética os ninjas ainda matam você. 0_o

    sábado, 4 de junho de 2011

    Das Utopias

    Se as coisas são inatingíveis... Ora!
    Não é motivo para não querê-las...
    Que tristes os caminhos se não fora
    A presença distante das estrelas!

    Mário Quintana

    quinta-feira, 2 de junho de 2011

    Meus Chicletes Favoritos

    Não sei se vocês sabem, mas eu AMO chicletes. Principalmente da Trident. Mas masco outros também, como Chiclets. Gosto dos Chiclets naquelas caixinhas pequenas, que dá pra esconder e cabe direitinho nos bolsos secretos da minha mochila.
    Tem também os fininhos, eu prefiro os originais, de menta. Da Chiclets, também.
    Custam 70 centavos, para a hora do aperto.

    Não há chiclete que se compare com o London Cult Mint, da Trident.

    É ardido na medida certa, e quando você masca fica com um hálito refrescante (como todo o chiclete da Trident), mas não é um frescor qualquer, é um frescor de menta pura. O melhor que tem. Esse já é mais caro: custa 4 reais. Hoje estou com o de melancia, Rio Canival Watermellon. É muito bom (como qualquer chiclete da Trident), mas nenhum bate o London Cult Mint. Faz tanto tempo que não masco um London =´(. Mas amanhã eu vou comprar um. Pra matar a saudade.


    Vamos aos outros chicletes da Global Conection...
    O Manhattan Night Mint também é muito bom, depois do London, é o melhor. É quase igual ao London, mas há notas mais, não sei um termo correto pra isso... Ardido, digamos. Mais fresco, também. Tá, o Manhattan e o London são praticamente iguais, só muda a embalagem. Mas nem por isso deixa de ser bom.
    O Bali Sunrise Fruit é muito bom, também. Ele e o Rio tem notas mais adocicadas, mais cítricas.
    =3
    Acho que são todos...
    Vamos aos Tridents tradicionais...

    Dias de Zumbi

    Maria entrou no seu quarto. Jogou a mochila e sua pasta roxa em cima da cama. Ainda na porta, voltou a realidade: meias no chão, papéis de chiclete espalhados por cima de sua escrivaninha, deveres acumulados, lotando seu quadro de avisos, roupas por cima da cama, que, ainda revirada de uma noite mal-dormida, dava sinais de que não havia sido arrumada há dias. Ele congelou por um momento, hesitou em entrar no seu quarto e foi ao banheiro, notando suas olheiras enormes e arroxeadas. Reparara, então, que não dormia direito havia dias, coisa nem um pouco normal. Notou que não postava havia dias no seu blog, que não entrava havia dias no twitter, que não cutucava ninguém havia dias no Facebook, que não fazia nada além de ler tirinhas na Internet. Foi para o banho e hidratou o cabelo. Secou e fez um baby liss, arrumou o quarto, cutucou todos seus amigos no Facebook, menos Alfredo, que ela mal conhece, postou um tweet pedindo desculpas, postou no seu blog sobre seus dias como zumbi, comprou mais chicletes para seu estoque, fez os deveres e foi ao shopping. Finalmente, de volta à vida normal e chata.

    Olá pessoas!

    Fiz um Fotolog! Não, eu não vou parar de postar aqui. Só vou parar de postar minhas fotos. Quando você vir uma foto aqui, provavelmente foi uma que eu achei no Google. Minha última foto aqui será...


    Tirei com o celular, a resolução tá meio ruim. Mas dá pra ver o quê é, pelo amor de Deus. Não conseguiu descobrir o quê é? É um monte de biscoitos numa escultura dentro do Mercado Três Pontinhos, sabia que nunca mais ia ver uma coisa tão incrível. Beira a perfeição arquitetônicasde posicionar os produtos no mercado. Observe as cores, que coisa linda. Quando eu tirei a foto todo mundo ficou me olhando com cara de "Por que essa garota tá tirando foto de um monte de Minueto?". Mas a perfeição é uma coisa alcançável, claro. Mas apenas uma vez NA VIDA !

    Vem curtir comigo, o dia já vem...

    Abra a felicidade você também! Vamos sentir algo novo!

    quarta-feira, 1 de junho de 2011

    Boa Ação Do Dia

    Mania das pessoas de achar que a vida do seres humanos vale mais do que, por exemplo, a vida de um cachorrinho. Hoje, estava eu voltando do dentista, com minha mãe, no carro. O escolar da frente estava parado, mais tarde iríamos reparar, por causa de um fusquinha. Fomos para o outro lado da pista. De repente ouvi um ganido agudo e alto, repetido e longo. O desespero e a dor eram evidentes.
    Fale com minha mãe:
    -Um cachorro está chorando!
    Do meu lado da janela dava pra ver a cena parcialmente: uma mulher desesperada, olhando para o cachorro, e pedindo para que as pessoas não encostassem. Paramos e baixei minha janela:
    -Quer carona para o veterinário?
    -Sim- disse a moça- mas como vou tirá-la daqui?
    Ela pegou o casaco de lã e enrrolou na cadela. Agora, dava para ver perfeitamente: um corpo canino pequeno, preto, com as patas brancas e com pequeninas manchas pretas. Quando ela trouxe a cadela ao colo, imediatamente parando de ganir, ela apoiou a cabeça no seu antebraço.
    Da janela, dava pra ouvir comentários como "Nossa, a roda ficou bem em cima da patinha dela!", "Você viu o tamanho do carro que a atropelou?".
    - Aquele filho de uma puta...! Passou com uma picape na pata da coitadinha! Nem parou pra socorrê-la...!
    Com o desespero, pensei que o cachorrinho fosse da moça, mas não. Era um cachorro de rua, um vira-latas qualquer. Qualquer não. Não mais. Não para aquela moça. Ela se compadeceu com a cadela estirada na rampa azul da calçada, largou o filho pequeno com sua mãe e foi ajudá-la.
    - Vou a veterinária tal.- Disse.
    Descido carro e abri a porta. Ela desceu com a cadela nos braços, com o rosto vermelho e com os olhos mariados.
    -Muito obrigada.
    Chegou à porta da veterinária. Uma moça de jaleco branco olhou, e falou algo. Depois a moça entrou.
    Isso aconteceu há menos de uma hora atrás.
    Mania das pessoas de achar que a vida de um ser humano vale mais do que a de uma cadela, que, estirada na calçada, implorava por ajuda. Imagine se fosse uma pessoa, ao invés de um cachorro nessa situação. Não seria apenas uma moça que iria se compadecer. Não iria se formar apenas um grupo de 7 ou 8 pessoas em volta do corpo. Talvez, a rua se enchesse de gente, chamariam a ambulância, gritariam por ajuda. Mas... É claro, é só mais um vira-lata atropelado numa rua movimentada. Não será o primeiro, muito menos o último.
    Ridículo... Bem, mas essa foi a minha boa ação do dia.

    Eu odeio grupos

    Eu odeio quando me corrigem. Odeio, odeio e odeio. Não gosto que olhem meu caderno (a menos que seja a professora) e digam "Frase se começa com letra maiúscula". Se eu não soubesse disso, você acha que eu estaria no 8º ano? Se está com letra minúscula é por que tem um motivo. Quando eu coloco em tópicos, normalmente eu coloco assim:
    ...Como:
    1- veias
    2-artérias
    3-arteríolas

    Sem letras maiúsculas. Não está errado. Não gosto de fazer redação em dupla. Não gosto e ponto. Deve ser por quê eu levo as redações que faço na escola muito a sério: em formato de matéria ou crônica.
    Matéria com olho, lide, minha opinião, se for digitada, em colunas, introdução, tudo direitinho. Se for pra fazer, que faça direito. Não faço as coisas "às coxas".
    Crônicas como uma crônica deve ser ( texto curto, o resto eu não lembro...)
    E normalmente minhas opiniões divergem com a minha dupla. Meu estilo de escrever está errado, meus termos não são os melhores. E, detalhe, não sou eu que quero fazer dupla. E a pessoa não se dá o trabalho de copiar enquanto eu crio, praticamente sozinha, minha redação. E se a pessoa não gosta do que eu escrevo, fica irritadinha e diz "Ah, Bia, escreve o que você quiser!".
    Por isso que eu não gosto de duplas,
    Além do mais, há aquele trabalho super complicado que é o trabalho em grupo. Normalmente, fico com os meninos mais irresponsáveis, com as meninas mais patys, que não gostam de escrever por que faz calos! No final, uma coisa simples, como procurar no Google o que é Savana, torna-se um cavalo de batalha. O cartaz sempre fica uma droga. A apresentação, então... Nem se fala! Ninguém sabe o que era para estudar, nunca conseguem apresentar sem ler tudo, um saco.
    Se eu pudesse só faria trabalhos "Me, Myself and I". "Mas isso é cousa impossível!"